Tecnologia

Moçambique vai desligar os emissores analógicos para dar lugar ao digital até Dezembro 2019

Moçambique vai desligar os emissores analógicos para dar lugar ao digital até Dezembro 2019

O processo de migração do sistema analógico para o digital, iniciado em Dezembro de 2018, através da activação dos primeiros emissores, deverá estar concluído até ao final do corrente ano com a entrada em operação de 60 centros de difusão.

Segundo soube o domingo de Victor Mbebe, presidente da TMT (Transporte, Multiplexação e Transmissão), durante o mês de Dezembro acontecerá o “apagão”, que compreende a desactivação dos emissores analógicos, em cumprimento das recomendações da SADC (Comunidade de Desenvolvimento da África Austral).

Presentemente, decorre o fornecimento dos aparelhos receptores, vulgo “decoders”, dispondo o país de um total de 200 mil “Set or Box”, sendo que nesta primeira fase já foram distribuídos acima de 20 mil. Espera-se que até Dezembro estejam disponíveis 400 mil dispositivos.

Os aparelhos são vendidos nos agentes autorizados da TMT ao preço de 1200 Meticais e possibilitam o acesso gratuito a 15 canais nacionais por tempo ilimitado. Na plataforma estarão disponíveis canais internacionais, cujo acesso é mediante o pagamento.

Na fase de arranque foram activados os emissores da Maxixe, Namaacha, Ressano Garcia e Magude, estando até esta altura em funcionamento 36 centros emissores, significando que nas cidades cobertas pelo sinal digital as pessoas podem migrar para a nova tecnologia.

A cidade de Maputo será um dos últimos pontos onde a televisão pelo sistema digital deverá ser activada.

Aliás, a digitalização da cidade e província de Maputo está condicionada à instalação do sinal da Ponta do Ouro. Em Gaza o processo está concluído, enquanto em Inhambane falta activar o sinal de Quissico. O mesmo acontece em relação a Sofala, Manica, Tete, Nampula, Cabo Delgado dois e Niassa.

NÃO SE MUDA PLATAFORMA

Em relação aos telespectadores que estão ligados a plataformas via satélite, por cabo ou terrestre, designadamente a “DSTV”, “Zap”, ‘TvCabo”, “StarTimes” e “Gotv”, poderão manter os contratos que os ligam às operadoras.

Os telespectadores que não possuem nenhum “decoder”, que apenas captam o sinal via antena externa ou interna, terão de adquirir o aparelho para poder receber os canais televisivos.

A vantagem da aquisição dos aparelhos receptores da TMT é que esta plataforma será a única a disponibilizar todos os canais nacionais de forma gratuita. Por outras palavras, mesmo aqueles que estão ligados aos pacotes de televisão, em caso de falta de pagamento, dispondo de um “decoder” do servidor público poderão ter acesso aos canais nacionais sem custo nenhum.

A plataforma da “TMT” tem capacidade para transmitir 60 canais, enquanto o país dispõe apenas de cerca de 15 canais que são difundidos.

Jornal Domingo

Deixe seu comentário

Etiquetas
error: Conteúdo está protegido !!