Sociedade

Marido assassina esposa com ajuda dos filhos e sobrinhos em Manica

Um cidadão assassinou a sua esposa durante uma briga, por ciúmes, no distrito de Mossurize, província de Manica. O marido suspeitava que a esposa, identificada pelo nome de Phetere Mazitchitcha, 23 anos de idade, estava envolvida numa relação extra-conjugal.

Marido assassina esposa com ajuda dos filhos e sobrinhos em Manica

Por isso, Mucindo Razão, 45 anos de idade, decidiu tirar a vida de sua esposa com recurso a objectos contundentes e perfurantes, com a ajuda de seus filhos e sobrinhos, que também desferiram golpes contra a finada, que perdeu a vida no local.
Consumado o crime, Razão colocou-se em fuga na companhia de seus cúmplices, dois filhos e igual número de sobrinhos, que ainda estão em parte incerta.

O porta-voz da Polícia da República de Moçambique (PRM) em Manica, Mateus Mindú, explicou, na terça-feira, em Chimoio, que uma investigação preliminar apurou que nos últimos tempos o casal vivia num ambiente carregado de violência originada por ciúmes.

“Quando recebemos a ocorrência iniciamos um trabalho de investigação e constatamos que o casal vivia num ambiente de discussão, até que, o marido, com ajuda de filhos e sobrinhos, partiu para violência e tirou a vida da esposa”, disse Mindú em conferência de imprensa sobre as principais ocorrências da semana passada.
Assegurou que a corporação está a trabalhar para localizar os suspeitos, com vista à sua responsabilização criminal.

“Eles fugiram, mas accionamos todas as linhas operativas e já temos pistas para a sua localização”, explicou Mindú, citado pela AIM.
A fonte aproveitou a oportunidade para apelar à população para evitar a violência como forma de resolver qualquer diferendo, porque pode terminar em tragédia.
“Existem instituições responsáveis para ajudar a resolver esses problemas.

Não podemos pensar que a violência é única forma de resolver o problema. O nosso apelo é que procurem essas instituições onde terão o devido tratamento e encontrarão uma solução dentro das normas estabelecidas por lei”, disse.

Entretanto, a PRM faz um balanço positivo da última semana, afirmando que não há registo de outros casos de relevo, “graças ao envolvimento da população, que tem acatado os apelos lançados para a prevenção e combate ao crime”.
Entretanto, no mesmo período a Polícia de Trânsito fiscalizou 708 viaturas e impôs 68 avisos de multa por violação ao código de estrada.
Enquanto isso, a Polícia de Guarda-Fronteira deteve 20 cidadãos pelo crime de violação de fronteira, incluindo cinco moçambicanos.

Fonte: JN

Deixe seu comentário

Etiquetas